sábado, janeiro 12, 2008

Na sua/ minha, pele

É na sua que a minha pele se transforma,
Adquire sempre um gosto adocicado
E um calor bastante bem temperado.

Não sou pimenta nem amêndoa,
Sou malagueta azul e romã.
Ele é o meu sal e o meu doce,
O meu capricho e a minha maçã.

Rebuçado de limão,
Bolo de pão-de-ló.
Prazer, ternura e excitação,
A certeza de não estar só.


1 comentário:

ZezinhoMota disse...

Ana, gosto do teu poetar e podes acreditar!

Já sou teu leitor e espero que pelas tuas letras também venha a ser teu amigo.

Sentimento de Amor da Amizade que professo.

Fica bem e feliz!

Agradeço-te por me deixares te conhecer.

Bjnhs

ZezinhoMota