segunda-feira, julho 30, 2007

Amarras





Onde estão os meus sonhos
quando me encontro perdida
ou amarrada aos receios?

Existem barreiras por transpor,
correntes por libertar
e voos por, ainda, dar.

Há quem me estranhe
e julgue o meu peito fechado
ou magoado.

Há quem me sorria
pois sabem que vivem flores
dentro do meu peito.

E desabrocham a cada dia
que passa,
em silêncio, graciosamente.




Pic by_smile_and_cry

6 comentários:

ivirus disse...

"entre sonhos te encontras
tristeza nem que a escondas
faz a alegria mais estranha
nela o peito fechado
abre-se ao afecto achado
e os dias que acompanhas
dão cor ás flores que emanas
em silêncio desabrocham
nesse ritmo e harmonia"

Adorei o teu poema!Brutal=D! agr tava toda a noite a poemar, ultimamente tem-me faltado o ritmo... mas tá a voltar! bambole....
abraços e bjinhos e ainda bem que venho aki beber uma beca dessa inspiração fabulosa

Sei que existes disse...

Solta essas amarras que te prendem e vai por ai á procura do que quer que seja que te faça feliz.
Beijos

Catarina disse...

Muito bonito ;)

"Existem barreiras por transpor,
correntes por libertar
e voos por, ainda, dar."

Gostei muito *

skywalker disse...

Eu sei que dentro do teu peito desabrocham flores únicas... os teus olhos irradiam toda a tua ternura, graciosamente.

Beijos doce flor

CdaPluma disse...

Há tantas verdades, mas a tua verdade és tu.

Será que às vezes também não te estranhas?

Mas acho que estás enganada, amiga, as flores no teu teu peito não desabrocham em silêncio... eu ouço-as.

um sorriso para ti

Lu@r disse...

Despeço-me com um suave beijo.